quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Corpo de universitária é encontrado em Extrema e loja de suspeito é incendiada

Comerciante foi detido e levado para prestar esclarecimentos. Jovem estava sumida há 11 dias

Reprodução internet/Facebook O assassinato da universitária Larissa Gonçalves, de 21 anos, que estava desaparecida desde 23 de outubro, em Extrema, no Sul de Minas, causou revolta de moradores da cidade. Na noite desta terça-feira, uma loja de roupas que pertence a um comerciante suspeito de cometer o crime foi queimada. O corpo da jovem foi encontrado à tarde, por volta das 15h, em avançado estado de decomposição. A Polícia Civil confirmou apenas que um homem foi detido e prestava esclarecimento na delegacia local. Acredita-se que o motivo do homicídio seria passional.

Reprodução internet/Facebook
Larissa havia sido vista pela última vez na tarde de 23 de outubro. Testemunhas disseram à Polícia Militar (PM) que ela chegou de carro à rodoviária, de onde seguiria de ônibus para a universidade, que fica em Bragança Paulista (SP). O trajeto era feito diariamente.
Segundo a PM, quando a jovem chegou ao terminal foi abordada por um casal. O homem parecia estar armado e rendeu Larissa, que foi colocada no banco de trás. Em seguida, saíram levando o carro, que foi encontrado próximo a um ponto de ônibus com a chave na ignição. A polícia trabalhava com a hipótese de sequestro, mas não houve pedido de resgate.

Larissa estava no terceiro ano do curso de biomedicina e morava com a família na zona rural de Extrema. Ela namorava o modelo Luccas Gamero há mais de um ano. O desaparecimento mobilizou parentes e amigos, que espalharam o caso pelas redes sociais. Segundo Luccas, ela era uma jovem muito tranquila e não tinha conflitos com ninguém. (Com informações de Cristiane Silva)