quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Esperança de cura para o câncer contraria interesses internacionais, diz deputado


 
O deputado federal Antônio Jácome (PMN/RN) colocou o ‘dedo na ferida’ na polêmica sobre a fosfoetanolamina - o composto químico orgânico que vem sendo considerado a grande esperança de cura do câncer.
 
“A gente sabe que não são apenas entraves burocráticos. Há interesses, sim, da indústria farmacêutica. Há interesses contrariados. Há, certamente, multinacionais que gostariam de ter a preferência”, ressaltou o deputado que é médico e presidente da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Câncer.
 
Desde as primeiras indicações de eficácia da fosfoetanolamina na regressão de tumores malignos o assunto tem dividido opiniões. O ponto mais polêmico é o excesso de burocracia e a demora da ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, em liberar o uso regular do medicamento. Políticos, médicos e cientistas têm defendido celeridade nessa liberação. Milhares de pacientes com câncer aguardam a autorização para usar a substância como o último recurso no seu tratamento.
 
O deputado Antônio Jácome discursou na tribuna da Câmara dos Deputados na sessão plenária ocorrida nesta terça-feira (24).