terça-feira, 17 de novembro de 2015

Terrorismo não tem religião: muçulmanos condenam ataques em Paris


Jovens muçulmanas de Turim, na Itália, protestaram contra ataques em Paris. (Foto: Getty Images) 
Jovens muçulmanas de Turim, na Itália, protestaram contra ataques em Paris. (Foto: Getty Images)
Muçulmanos de diversas partes do mundo usaram as redes sociais para condenar os ataques ocorridos em Paris (França) na última sexta-feira, que deixaram pelo menos 129 mortos e mais de 350 feridos. Em Turim, na Itália, jovens muçulmanas seguraram em protesto cartazes onde se lia a hashtag #NotInMyName (“Não em meu nome”).
Manifestações como essa ocorreram em vários outros países. Muçulmanos também estão usando hashtags como #TerrorismHasNoReligion (“Terrorismo não tem religião”) e #MuslimsAren’tTerrorists (“Muçulmanos não são terroristas”).
A comunidade muçulmana internacional também lançou mão da hashtag #ISISisnotIslam (“Estado Islâmico não é o Islã”), em referência ao grupo autoproclamado “Estado Islâmico”, que assumiu os atentados. “O profeta Maomé nos ordenou a não fazer mal a ninguém e disse que quem fizer o contrário não é muçulmano”, escreveu um internauta do Egito.
Muitos também citaram trechos do Alcorão para condenar o atentado. “Quem mata um inocente é como se matasse toda a humanidade”, tuitou um outro usuário. Após os ataques de Paris, foi retomado o uso da hashtag #NotInMyName, movimento que começou no Reino Unido em 2014 após decapitações de estrangeiros pelo Estado Islâmico.