segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O BRASIL ESTÁ TREMENDO

Tremor de terra de 5,2 graus atinge costa do País
 Moradores de Londrina, no Paraná, estão assustados com os tremores de terra que atingiram alguns bairros da cidade. O último tremor foi sentido na manhã deste sábado (2).
Foi uma sequência de tremores e de sustos.
“Eu senti um tremor na casa assim booom, aquele estouro, coisa mais feia do mundo”, conta um morador.

Dona Áurea tinha acabado de acordar quando sentiu o estrondo.

“Eu estava tomando café e a xícara balançou, foi horrível, foi horrível, gente”, lembra.

Na casa do seu Maciel garrafas empilhadas foram para o chão.
“Estremeceu a casa toda, aquilo estremece mesmo, você sente a vibração”, afirma.

Moradores também contam que apareceram rachaduras nas casas logo depois dos tremores. Raquel está assustada.
JN: Onde é que apareceram os problemas?
Raquel Maria da Silva: Em toda casa. Sala, quarto, cozinha, área de serviço. Eu durmo com a roupa do lado, porque já aconteceu forte e a gente ter que sair correndo, né?

A maioria dos tremores foi sentida em três bairros residenciais da Zona Leste de Londrina: Jardim Califórnia, Jardim Europa e Vila Brasil. O mais forte aconteceu no dia 14 de dezembro e foi registrado até pelo Centro de Sismologia da USP, em São Paulo. O abalo, considerado de baixa intensidade, atingiu 1,8 na escala Richter.

"Eu achei que minha casa ia cair pelo tamanho do estrondo que deu", afirma um morador.

Os moradores suspeitam de uma obra feita na região pela empresa de saneamento do estado. A empresa nega qualquer relação entre a obra e os tremores.
Pesquisadores da Universidade Estadual de Londrina e da USP estudam fazer uma parceria para avaliar o fenômeno. Eles vão ouvir os relatos de quem mora na cidade e pretendem instalar sensores na região para tentar desvendar o mistério.
“Nós pretendemos monitorar com mais atenção e mais localizado esses movimentos que têm, aparentemente, uma origem natural, e não artificial”, explica o professor de geofísica José Paulo Pinese.
"O que nós queremos realmente é uma explicação. O que está acontecendo?", diz um morador.
“É um desespero total, a gente está procurando hotel, casa de sogra, casa de parente para gente qualquer hora sair à noite e dormir lá", afirma outro morador.