segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Estresse é capaz de reduzir em até 45% as chances de mulheres engravidarem


20160926103331769989a
Há mulheres que passam boa parte da vida fugindo da gravidez. Contudo, quando decidem aumentar a família, ficam extremamente desapontadas diante de um resultado negativo. O problema é que o estresse gerado pela pressão para engravidar pode adiar ainda mais o sonho da maternidade. Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos, mostrou que o esgotamento emocional pode diminuir significativamente a chance de concepção.
A epidemiologista Kira Taylor recrutou 400 mulheres sexualmente ativas com menos de 40 anos, que queriam engravidar e concordaram em registrar, todos os dias, o nível de estresse em uma escala de 1 a 4. Elas também anotavam dados sobre menstruação, relações sexuais, métodos de contracepção, consumo de álcool e cafeína, além de hábito de tabagismo. Ao longo do estudo, as participantes faziam exames de urina. Os pesquisadores as acompanharam até ficarem grávidas ou, no caso das que não conceberam, até o fim do estudo, que durou por volta de oito ciclos menstruais.