quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Infarto em mulheres pode se tornar mais frequente do que em homens


infarto_mulherEm cinco décadas, o percentual de episódios de que elas são vítimas saltou de 10% para 48%, de acordo com a SBC. Além do estresse inerente à inserção feminina no mercado de trabalho, o diabetes seria um dos principais responsáveis por esse fenômeno. Isso porque o impacto da disfunção sobre a saúde cardíaca feminina é ainda mais negativo do que sobre a masculina.
Recentemente, a American Heart Association divulgou que as diabéticas do tipo 2 têm o dobro de riscos de apresentar doença cardiovascular do que os homens com a doença. Para piorar, elas tendem a sofrer infarto ou AVC em idade mais precoce, além de terem maior propensão a morrer logo após o primeiro evento. Em contrapartida, conseguem obter mais benefícios, do ponto de vista cardíaco, ao adotar hábitos saudáveis.