sexta-feira, 16 de junho de 2017

Deturpação de João 1:1



A woman studying the Bible late at night.
  Na tradução bíblica das Testemunhas de Jeová, que o apologista e polemista Arnaldo Benedicto Christianini (1915-1984) chama de “tradução pré-fabricada”, há uma série de distorções do sentido original do texto bíblico que têm como único propósito negar a absoluta divindade do Senhor Jesus Cristo (cf. Is 9:6; Jo 20:28; At 3:15; Cl 2:9, etc).
João 1:1 é um desses versos traduzidos de maneira tendenciosa. Enquanto que nas traduções bíblicas clássicas João 1:1 chama Jesus de Verbo Divino (ou Palavra, significando que Ele é o Agente ativo da Criação), a Novo Mundo verte o texto de um modo que o leitor pouco informado tem a impressão de que Jesus é um “deus” menor, contrariando abertamente Isaías 43:10 onde Jeová diz: “antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá”.
É óbvio que apenas esse texto de Isaías 43 já refuta a Tradução do Novo Mundo, porque o próprio Jeová usa “deus” com letras minúsculas para se referir a algum tipo de divindade inferior a Ele que nunca surgiria. Se Cristo fosse um “deus”, mesmo que não sendo um “deus pagão”, é óbvio que a “geração” de um “deus” com letra minúscula implicaria que um “deus não tão verdadeiro” (mesmo que não fosse pagão) surgiu em algum momento da eternidade, apesar da certeza que Javé deu de que isso jamais ocorreria.
Ou seja: a tradução de João 1:1 conforme apresentada pela Novo Mundo é uma aberração, à luz de Isaías 43:10.
Como bem destacou o erudito F. F. Bruce sobre a correta tradução do referido texto do evangelho de João:
A estrutura da terceira frase do versículo 1, theos en ho logos [Deus era o Verbo], requer a tradução o Verbo era Deus. Já que logos é precedido do artigo [ho], ele é identificado como sujeito. O fato de theos ser a primeira palavra depois da conjunção kai (e) mostra que a ênfase principal da frase está nele. Se tanto theos como logos fossem precedidos de artigo, o significado seria que o Verbo é completamente idêntico a Deus, o que é impossível se o Verbo também está com Deus. A paráfrase da NEB [New English Bible]: “Tudo o que Deus era, a Palavra era” transmite o sentido da frase da melhor maneira que uma paráfrase pode fazê-lo […] Portanto, quando céu e terra foram criados, o Verbo de Deus estava lá, já existia em relação íntima com Ele e fazia parte de Sua essência. Não importa até onde tentemos fazer voltar nossa imaginação, nunca alcançaremos um ponto em que poderemos dizer do Verbo divino, como Ário: ‘Houve um dia em que ele não era’.[i]

João 1:1 versus João 1:1

Mesmo Isaías 43:10 sendo suficiente para refutar a pretensão das Testemunhas de Jeová, você precisa ler o artigo de Arnaldo Christianini que disponibilizarei a seguir. Antes, veja a diferença entre as traduções clássicas e a aquela apresentada pela Sociedade Torre de Vigia:
Na Mira - Gráfico
Na tradução que estamos discutindo, Jesus é chamado de “deus” com letra minúscula, indicando assim que Ele não é da mesma essência que o Pai (contrariando abertamente o que Ele mesmo disse em João 10:30). Seria essa tradução a correta, enquanto que as demais foram “deturpadas”?
Para você obter um estudo bem embasado, e que aponta a manipulação do texto de João 1:1 feita na Tradução do Novo Mundo, disponibilizo em formato PDF o artigo de Arnaldo B. Christianini, onde ele fornece uma explicação técnica interessantíssima que liquida de vez com essa questão. O mesmo foi publicado na Revista Adventista de julho de 1964.
Leia tal artigo e compartilhe o conteúdo com todos os seus amigos! Há muitos filhos de Deus que abraçaram o jeovismo e que precisam com urgência conhecer a verdade sobre Jesus Cristo, o “verdadeiro Deus” (1 Jo 5:20a), para que possam realmente ter a vida eterna (1Jo 5:20b; compare com 1Jo 5:12).

Uma tradução rejeitada por eruditos bíblicos

Christianini, o autor do artigo disponibilizado, foi pastor, escritor, jornalista, professor e poliglota, além de poeta e músico. Foi membro da Comissão Permanente de Revisão e Consulta da Sociedade Bíblica do Brasil, e calcula-se que em sua carreira jornalística, iniciada em 1933, produziu mais de oito mil textos em jornais (fundou alguns deles) e revistas.[iii] Sobre a tradução jeovista em suas diferentes edições, o referido estudioso foi taxativo:
As versões bíblicas comentadas neste trabalho, pilares em que se firmam os russelitas, são indignas de crédito, não merecem fé, são ignoradas dos eruditos como fonte de consulta e estudo. Clamam as chamadas Testemunhas de Jeová que este desprezo dos conhecedores das línguas originais da Bíblia pelas traduções mencionadas se deve ao preconceito dos ‘religionistas’. Não é, não. É mesmo devido à completa ausência de mérito, de valor, de peso e, sobretudo, de honestidade no trabalho extravagante que apresentam, pretendendo corrigir as traduções clássicas e aceitas.[iv]
Não tenho dúvidas quanto à sinceridade de muitos irmãos Testemunhas de Jeová que buscam a Ele de coração e que são muito comprometidos com o avanço de Seu reino eterno. O zelo missionário deles é inquestionável e digno de ser imitado por qualquer cristão. Todavia, creio, caro leitor, que após a leitura desse artigo de Christianini, você terá razões iniciais muito fortes para deixar de lado a Tradução do Novo Mundo e fazer uso de uma tradução séria, feita por eruditos das mais diferentes confissões religiosas que, ao contrário dos tradutores jeovistas, são realmente versados nas línguas bíblicas. Além disso, os eruditos clássicos fazem questão de se identificar, para que outros possam questionar o próprio trabalho de tradução deles – o que não ocorre com os tradutores da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.
Tenha seu coração aberto à verdade, e o Senhor iluminará sua mente sincera na compreensão do que significa ser uma verdadeira Testemunha de Jeová. Para Isaías 43:10 e 11, ser uma Testemunha de Jeová é o mesmo que testemunhar de Cristo como Jeová e Salvador, pois o verso 11 diz que fora de Jeová (ou Javé) “não há Salvador”.
Sendo que só Jesus pode salvar (At 4:12), não há dúvidas de que Jesus é Deus e Jeová, e que quem Testemunha de Sua Divindade e poder salvador é o único que pode realmente ser chamado Testemunha de Jeová.
Não justifique seus erros doutrinárias com sua lógica humana. Afinal, nem tudo o que é lógico é verdadeiro e nem tudo o que é verdadeiro, é lógico. Aceite que a lógica divina é infinitamente superior à sua (Is 55:8, 9) e submeta-se com humildade à simplicidade da revelação bíblica quanto à natureza divina do Senhor Jesus Cristo.
Apenas compreendendo que quem morreu na cruz foi alguém mais que um “deus”, é que você poderá compreender e valorizar devidamente o plano de salvação.
Reflita em tudo isso com carinho e em espírito de oração.

[Publicado também em www.leandroquadros.com.br. Conheça o site clicando aqui]

REFERÊNCIAS

[i] F. F. Bruce, João – Introdução e Comentário. Série Cultura Bíblica (São Paulo: Vida Nova, 1987), p. 36.
[ii] Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas: Tradução da versão inglesa de 1961 mediante consulta constante ao antigo texto hebraico, aramaico e grego. Edição Brasileira (Brooklyn, New York: Watchtower Bible and Tract Society of New York, Inc., 1967), p. 1114.
[iii] Enciclopédia da Memória Adventista no Brasil, “Christianini, Arnaldo Benedito”; disponível em: http://www.unasp-ec.com/memoriadventista/enciclopedia/8/009c_christianini_arnaldo.htm ; Internet (consultada em 22 de setembro 2016).
[iv] A. B. Christianini, “Deturpação Grosseira”. Revista Adventista, no 7, julho de 1964, ano 59: p. 8.