Header Ads


Wesley Safadão move ação contra pessoas que o atacam na internet


Segundo o jornalista Léo Dias, família de Safadão já teria gasto mais de R$ 500 mil para achar “haters” e chegou a enquadrar artistas e influenciadores digitais entre os suspeitos


Há muito tempo Wesley Safadão e família se queixam de ataques sofridos pela internet. Mas parece que a situação não é apenas uma reclamação da boca para fora. O jornalista especializado em celebridades Léo Dias, do programa Fofocalizando, do SBT, afirmou que Safadão e sua esposa, Thyane Dantas, movem um gigantesco processo de Justiça contra seus “haters”. Segundo o jornalista, esta seria a maior ação judicial já movida por uma celebridade no Brasil contra pessoas que propagam mensagens de ódio na internet.
Casamento entre Safadão e Thyane seria um grande alvo dos haters . Foto: Reprodução Instagram
Casamento entre Safadão e Thyane seria um grande alvo dos haters . Foto: Reprodução Instagram
Ainda de acordo com Léo, o processo começou no fim de 2017, mas tomou ainda mais força quando Dona Bill, mãe de Safadão, resolveu tomar a frente do caso. Ela teria investido mais de R$ 500 mil para contratar uma empresa que ficaria a cargo de rastrear os IPs (identificação na internet) dos computadores e celulares de onde partem os ataques.
Com esta identificação, ela chegou a entrar em contado com dezenas destes investigados, propondo a entrega dos aparelhos para a polícia em troca de suavização da pena. Desta forma, ela teria conseguido informações como conversas de WhatsApp, áudios, e-mails, e registrado todo esse material em cartório.
No meio disso tudo, Dona Bill também teria descoberto que, inclusive, outros artistas, empresários e influenciadores digitais teriam disparado e compartilhado conteúdos de ódio contra Wesley, Thyane e família. As investigações junto à polícia estariam em fase conclusiva e várias contas de Instagram teriam sido desativadas ao longo do processo.
Os envolvidos no caso podem ser indiciados em diversos crimes, como falsidade ideológica, injúria, difamação, ameaça e formação de quadrilha, a depender do tipo de envolvimento que tiveram nos ataques. O processo deve terminar neste ano e, ainda de acordo com Léo Dias, Wesley Safadão pretende levar a ação até o fim.
Fonte: OP9